Atividade física e nutrição esportiva

Atividade física e nutrição esportiva: conheça os benefícios!

Quando falamos de saúde, o conjunto alimentação e atividade física ganha destaque por promover diversos benefícios ao nosso organismo. Na ciência, chamamos a área de nutrição esportiva.

O estilo de vida ativo é um dos maiores determinantes da saúde das pessoas. Independentemente de sexo, idade e profissão, a atividade física acarreta melhoras na qualidade de vida em todos os aspectos. Já a nutrição trabalha em conjunto com a atividade física.

É possível emagrecer ou ganhar peso só com mudanças alimentares? Sim! Porém, aliar atividade física facilita muito ambos os processos e traz ganhos maiores e mais duradouros.

Que tipo de atividade física preciso praticar?

Não existe uma regra. Tudo dependerá do seu objetivo e do que você gosta. Você pode fazer uma ou diversas modalidades de atividades. Basta conversar com seu profissional de educação física, para encontrar os tipos mais adequados para você.

Na verdade, atividade física consiste em qualquer movimento corporal, produzido por músculos esqueléticos, que exija gasto de energia, incluindo atividades recreativas ou de lazer (caminhada e ciclismo), atividades no trabalho, tarefas domésticas, jogos e esportes. Já o exercício físico consiste em uma subcategoria de atividade física, de caráter planejado, estruturado e repetitivo, que visa melhorar ou manter um ou mais componentes da aptidão física.

Recomenda-se que adultos saudáveis com idade entre 18 e 64 anos pratiquem, no mínimo, 150 minutos de atividade de intensidade moderada ou, pelo menos, 75 minutos de atividade de intensidade rigorosa, durante a semana.

Sedentarismo e doenças relacionadas

Nos últimos anos, o número de mortes por doenças não transmissíveis aumentou em todo o mundo. As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de mortalidade. Fortes evidências demonstram que a atividade física reduz o risco de hipertensão, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes, depressão, câncer de mama e de cólon. Além disso, ajuda no controle do peso, fortalece os ossos, reduz o estresse, melhora a disposição e o convívio social.

A falta de tempo ocasionada pelas mudanças no estilo de vida moderno, como a rotina de trabalho, estudos e cuidados com a casa, compromete a prática de atividade física e expõe a população à maior risco de doenças crônicas não transmissíveis.

O desenvolvimento de máquinas e equipamentos diminuiu boa parte do trabalho do homem e, consequentemente, o gasto de energia. Além disso, a maior parte da população andava a pé ou de bicicleta, mas, hoje, os principais meios de transporte são os ônibus e os carros. Todas essas mudanças trouxeram consequências negativas para a alimentação e tornaram as pessoas sedentárias.

As taxas de inatividade física continuam elevadas. Entre os principais aspectos relacionados a esse comportamento sedentário estão a distância entre os domicílios e os locais indicados para a prática da atividade, falta de tempo, motivação e apoio social.

Atualmente, a obesidade é reconhecida como uma epidemia mundial, que atinge milhões de crianças, adolescentes e adultos em países desenvolvidos e em desenvolvimento, tornando-se um problema de saúde pública.

Nutrição esportiva, dieta e atividade física

A dietoterapia é forte aliada na redução da gordura corporal. No entanto, o tratamento dietético é melhor sucedido quando associado a prática de atividade física, promovendo um balanço energético negativo. Além disso, para a manutenção do peso, é importante que as mudanças na alimentação e a prática de atividade física se tornem um hábito e persistam pela vida toda.

A nutrição é muito importante para quem pratica atividade física, pois dá o aporte nutricional necessário para a realização da atividade. Veja alguns benefícios da alimentação correta e planejada na atividade física:

  • Evita a perda de massa magra, como os músculos;
  • Oferece nutrientes necessários para a recuperação do corpo;
  • Dá energia para a realização da atividade;
  • Regula as necessidades energéticas, possibilitando o emagrecimento ou ganho de massa muscular.
  • Ajuda a diminuir as chances de lesões.

A nutrição esportiva deve ser individualizada, pois a necessidade calórica varia conforme a idade, peso, estatura, sexo e tipo de atividade física. Saber quanto, quando e como inserir determinados alimentos na dieta é a chave para o sucesso tanto no emagrecimento quanto na hipertrofia.

Gostou desse post? Então, aproveite para ler também “Dietas restritivas e os seus malefícios à saúde”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s