Dietas restritivas e os malefícios à saúde

Dietas restritivas e os seus malefícios à saúde

Emagrecer não é um processo simples, mas pode ser mais fácil do que você imagina. O segredo é executá-lo de forma correta. A reeducação alimentar é a melhor saída para comer bem, ter saúde, viver feliz e, consequentemente, emagrecer. Para começar, passe longe de dietas restritivas.

A busca pelo peso ideal ou o corpo perfeito faz com que as pessoas procurem alternativas fáceis e rápidas de emagrecimento. A culpa não é sua, afinal, quem não gostaria de perder 10kg em um mês e ainda se manter saudável?! Mas, infelizmente, não é assim que as coisas funcionam.

Existem muitas informações erradas sendo divulgadas por pessoas que não possuem conhecimento e formação na área da nutrição. Nesse texto, conto as principais para você. Acompanhe!

O que acontece quando começo uma dieta restritiva?

A restrição alimentar ou o “terrorismo alimentar”, como é chamada por algumas pessoas, caracteriza-se por uma série de regras alimentares a serem cumpridas. Esse tipo de alimentação traz diversas consequências ruins que, inclusive, podem atrapalhar o emagrecimento e favorecer o ganho de peso.

Todo mundo conhece alguém que no primeiro mês de dieta emagreceu, mas no segundo recuperou tudo o que havia perdido e mais um pouco. O famoso efeito sanfona.

Uma dieta restritiva até pode levar a perda de peso rápida, mas, normalmente, são difíceis de serem mantidas a longo prazo. Estudos mostram que 95% das pessoas que fizeram dieta restritiva não conseguiram mantê-la e, posteriormente, recuperaram ou aumentaram de peso.

Quer saber o que realmente acontece quando fizemos dietas radicais que prometem emagrecimento rápido e milagroso? Bem, depois de algum tempo, o corpo começa a perceber os efeitos dessa restrição e procura alternativas para se manter ativo. O nosso organismo começa a gastar menos energia e armazenar mais. Metabolismo lento, já ouviu falar sobre isso?

Pois é exatamente isso que acontece. Se o corpo não está recebendo energia suficiente, ele se adapta para não gastar o pouco que ainda resta para seu funcionamento básico. Dessa forma, ele trabalha com o mínimo de esforço possível, para não gastar calorias.

Carboidratos: vilões ou mocinhos?

O carboidrato é o principal alvo das dietas restritivas. As dietas low carb, carbo zero ou cetogênica podem até funcionar para determinado público, mas não funcionam para a maioria.

O cérebro se alimenta, basicamente, de glicose (produto da digestão de carboidratos). Quando o corpo não recebe carboidratos suficientemente, ele produz glicose através de outros componentes do nosso organismo, como por exemplo os músculos.

Nesse processo, o corpo produz compostos tóxicos ao organismo que precisam ser eliminados através da urina, fazendo com que eliminemos mais água. Dessa forma, o peso perdido na balança é de músculos e água. O que não é interessante, pois queremos perder gordura e não massa magra.

Além disso, quando retiramos o carboidrato do prato, logo aparecem sintomas como irritação, tontura, mal humor, dores de cabeça e falta de concentração, que contribuem para a desistência da dieta e recuperação do peso.

Compulsão alimentar e outras doenças

Cuidado com a qualidade da dieta! A falta de certos nutrientes, ocasionada pela exclusão de certos grupos alimentares, pode afetar o funcionamento do organismo e do sistema imunológico, abrindo espaço para o desenvolvimento de doenças.

A obsessão pela alimentação pode tornar-se vilã da saúde. A maioria dos transtornos alimentares, por exemplo, são desencadeados por dietas restritivas. O ciclo da compulsão acontece, mais ou menos, da seguinte forma:

  • Você está com baixa autoestima e insatisfeita com o peso. Então, resolve iniciar uma dieta da internet.
  • Essas dietas costumam separar os alimentos como proibidos e liberados.
  • Bate aquela vontade de comer um chocolate. Então, você come um “doce fit”, porque chocolate é proibido. Porém, não fica satisfeito porque não era aquilo que você precisava no momento.
  • O chocolate não sai da sua cabeça. Você se sente triste e ansioso por isso e não consegue controlar a sua vontade. Come o chocolate.
  • Depois de comer o tal chocolate, você se sente triste por ter falhado e come ainda mais para se confortar.
  • Depois do descontrole, você resolve iniciar outra dieta da moda e o ciclo se repete.

A dica é: não exclua os alimentos para sempre! Aprenda quando e como encaixá-los na sua alimentação e rotina.

Comer um chocolate quando sentir vontade e depois voltar para a sua alimentação programada não vai te engordar. Você não precisa comer sempre 100% certo ou chutar o balde. É possível comer uma fatia sem precisar comer o bolo todo. Busque sempre o equilíbrio!

Na consulta nutricional, conversamos muito sobre isso e dou várias dicas a partir do conhecimento dos seus hábitos particulares e da sua rotina. A nutricionista é a profissional que pode te ajudar a quebrar esse ciclo. Se você é de Porto Alegre ou região, clique aqui e fale comigo!

Uma resposta para “Dietas restritivas e os seus malefícios à saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s